eNews

Notícias

09/02/2018 - Fonte: Portal Nacional Segs

« Voltar para notícias

Os 4 principais benefícios da rastreabilidade de medicamentos


Tecnologia aliada a processos garante acima de tudo segurança para o paciente e para as instituições de saúde, garantindo que o paciente certo receba apenas o medicamento indicado, na hora e pela via correta

Criado há nove anos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o Sistema Nacional de Controle de Medicamentos, que exige que farmacêuticas criem mecanismos de rastreabilidade sobre os medicamentos produzidos para que possam ser monitorados para demandas de autenticidade, procedência, validade, comercialização, distribuição e administração, entre outros itens, finalmente deve começar a ser implantado no primeiro trimestre deste ano. A pauta é de grande importância, especialmente quando temos a estimativa de mais R$ 1 bilhão* de desperdício em medicamentos anualmente, representando cerca de 20% dos remédios comprados por hospitais públicos e privados do Brasil.

Neste contexto, o especialista e presidente da UniHealth Logística Hospitalar, Domingos Fonseca, empresário com mais de 30 anos de gestão de medicamentos e insumos médicos de instituições de saúde no Brasil e no exterior embasa os resultados obtidos com este sistema implantado de forma pioneira pela UniHealth, há mais de 10 anos, e onde atestou em relatórios gerenciais aumentos expressivos de acuracidade, segurança e redução importante de perdas, levando seus clientes, inclusive secretarias de saúde de diversas regiões do país a servirem de modelo de implementação para mercados externos.

Com um sistema integrado a um software próprio, o UniLogWF, a empresa customiza a gestão de insumos médicos de ponta a ponta garantindo múltiplos benefícios, a destacar:

1 – Segurança na administração ao paciente

Com a rastreabilidade por número de série de medicamentos e insumos unitarizados, é possível garantir que o paciente certo recebeu o produto indicado na hora e via certa. Com esta prática, aumentam-se em mais de 99% os índices de assertividade, que ajudam a desfazer a estatística atual do cenário brasileiro de mais de 1,7 milhão de pessoas/ano sofrendo com eventos adversos durante internações, entre eles de erros de administração de medicação.

2 – Acesso aos pacientes em caso de recall

Segundo dados do boletim “Saúde e Segurança do Consumidor 2015”, da Secretaria Nacional do Consumidor, a quantidade de produtos defeituosos colocados no mercado de consumo em 2014 foi de 161.041 para medicamentos e 158.328 para equipamentos para saúde. Com o sistema de rastreabilidade é possível realizar o recall destes produtos por número de série junto aos locais comercializados e pacientes destinados, e planejar diversas ações de reversão.

3 – Redução de desvios, roubos e desperdícios

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), de cada lote de 100 medicamentos comercializados no Brasil, 19% são ilegais e 20% são falsos. Somado a isso, tem-se os inúmeros casos de roubo e desvio de cargas durante o transporte. Com a rastreabilidade total desses produtos esses casos são inibidos e localizados, podendo reduzir para menos de 1% as perdas.

4 – Redução de gastos em instituições de saúde

Segundo dados da FEHOSP – Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo, entre 15 e 25% das compras hospitalares são de urgências, 30% dos valores de estoque são excessivas e ocorrem de 10% a 30% de incerteza de inventário. Com a rastreabilidade gerando um melhor gerenciamento do estoque e da demanda, é possível reduzir esses números em até 100%, com impacto direto na folha de pagamento e na redução de até 40% de capital imobilizado.

“Estes são alguns dos exemplos positivos do sistema que já utilizamos e que agora será ainda mais rico com a entrada da rastreabilidade pelas farmacêuticas, atestando que é possível promover uma saúde melhor para o nosso país”, declara Domingos Fonseca, presidente da UniHealth Logística Hospitalar.

Quer ver como funciona na prática o caminho do medicamento desde seu recebimento até a beira do leito? Então assista este vídeo:

http://bit.ly/caminhodosmedicamentos

Link