ePharma PBM do Brasil

DOENÇAS REUMÁTICAS ATINGEM MAIS DE 15 MILHÕES DE BRASILEIROS

Popularmente conhecidas como “reumatismo” as doenças reumáticas acometem mais de 15 milhões de pessoas em nosso país. Esse levantamento foi realizado pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) que destacou também que, além do alto número de pacientes, as doenças podem causar limitações físicas, afastamento precoce das funções profissionais e um sério impacto ao sistema de saúde.

Atualmente são conhecidas mais de 120 doenças relacionadas, que atingem articulações, ossos, músculos, cartilagens, tendões, pele e sistemas respiratório e gastrointestinal. As doenças reumáticas têm um forte impacto na vida do paciente e seus familiares. De acordo com dados do Ministério da Saúde (DataSUS), entre setembro de 2019 a agosto de 2020, mais de 100 pessoas foram internadas em hospitais ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS) por dia com sinais e sintomas compatíveis com alguma enfermidade reumática. No total, dentro deste período foram mais de 40mil hospitalizações.

O Dia Nacional de Luta Contra o Reumatismo, celebrado nesta sexta-feira (30/10) foi criado com o objetivo de educar a sociedade e sensibilizar profissionais de saúde para a necessidade da criação de programas de atenção à saúde relacionadas a esta enfermidade.

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, existem cerca de 130 tipos de doenças reumáticas, as mais comuns, e que atingem até 60% da população são: artrose, tendinite, bursite, lombalgia, gota, fibromialgia, artrite reumatóide, lúpus, osteoartrite (bico de papagaio).

Caso estas doenças não sejam tratadas, elas podem causar uma série de limitações ao paciente e até levá-lo à incapacidade física, provocando afastamento do trabalho e a aposentadoria precoce. Outro estudo promovido pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMU-USP), e realizado em 2014, mostrou que as doenças reumáticas lideraram as concessões de benefícios da Previdência Social com 19% dos afastamentos e auxílios-doenças e 13,15% das aposentadorias por invalidez.

Tratamento e prevenção
Apesar de apresentar uma incidência maior no público idoso, as doenças reumáticas podem acometer qualquer pessoa, independente de idade, sexo ou estilo de vida. Os sintomas ou sinais do aparecimento dessas doenças são diversos, sendo os mais comuns:

  • Dores nas articulações por mais de seis semanas
  • Vermelhidão, calor e inchaço nas articulações
  • Dificuldade para movimentar as articulações ao acordar
  • Dores ao esticar os braços sobre a cabeça
  • Dores ao elevar os ombros até o pescoço

Caso alguns destes sintomas apareçam é muito importante buscar ajuda médica. Vale lembrar que a opinião de um especialista médico é muito importante para que, além do diagnóstico, um tratamento eficaz seja administrado de maneira segura mitigando riscos ao paciente ou agravando o caso.

Os tratamentos disponíveis para as doenças reumáticas são, geralmente, multidisciplinares e incluem também a prática de exercícios e fisioterapia, além do uso de medicamentos anti-inflamatórios e a base de cortisona.

Alguns outros tipos de doenças reumáticas como a artrite psoríaca, artrite reativa e a artrite reumatoide, requerem tratamentos específicos, seguidos pelos Protocolos Clínicos de Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde e medicamentos de uso contínuo e, em alguns casos, de alto custo.

Com a dificuldade de acesso para alguns medicamentos, seja pelo valor ou pela demanda disponível no mercado, é muito importante contar com instituições de saúde ou operadoras de saúde que possuam estrutura e parceiros capazes de oferecer o tratamento medicamentoso para seus pacientes e beneficiários.

Diante de desafios como estes, e cumprindo seu compromisso com a democratização do acesso à saúde e tratamentos eficazes, a ePharma possui importantes Programas que vão desde o diagnóstico e acesso como apoiar e cuidar do paciente durante sua jornada.

O Programa de Acesso e Aderência ao Tratamento é um programa de relacionamento com pacientes que necessitam de medicamentos de uso contínuo para doenças crônicas. Ele possibilita o acesso a descontos nas redes de farmácias parceiras e orientações e acompanhamento no uso dos medicamentos. Já o Programa de Suporte ao Paciente (PSP) é destinado para medicamentos de alta complexidade e doenças raras, além de desenvolver estratégias de suporte e cuidado ao paciente para ampliar o nível de acesso e adesão aos tratamentos.